2e7b494a-f9c8-4b99-82ed-63cd5fff8fe3_edited.jpg

Esmeralda denunciou ainda que não era a primeira vez que a transferência de recursos acontece. E afirmou que a APLB vai acionar a justiça, por meio do Ministério Público ou por processo contra o projeto de dotação orçamentária. 

A dirigente mostrou entre as irregularidades que o projeto tem em sua previsão transferir R$ 1 milhão e 400 mil do PNATE, que tem em sua composição FUNDEB 30% entre outras verbas “carimbadas”, expressão que significa que deve ser exclusivamente destinada ao seu fim. Entre outros recursos da educação que somam mais de R$ 3 milhões. “Verba vinculada não se mexe, não se transfere”, declarou Esmeralda.

Para a APLB o entendimento é que os recursos deveriam ser rateados aos profissionais da educação como forma de ressarcir os esforços empreendidos neste período de pandemia.

Seguida a votação, indiferentes ao apelo da entidade, o projeto foi aprovado por 9 votos a favor, contra 5. O Sindicato dará nos próximos dias seguimento no judiciário em desfavor à decisão que é uma agressão contra os profissionais da educação.

Texto: APLB Sindicato – Delegacia hidroelétrica de Paulo Afonso

APLB declara que vai à justiça contra projeto da prefeitura de Paulo Afonso que tira recursos da educação 

Professores filiados e dirigentes da APLB Sindicato realizaram protesto na Câmara Municipal contra o projeto do executivo que retira recursos da educação para outras pastas na ordem R$ 16 milhões por meio de projeto de dotação orçamentária.

 

A manifestação aconteceu na manhã desta segunda-feira, 22, durante sessão ordinária em que foi colocador para votação. 

A presidente da entidade, Esmeralda Patriota, foi convidada a falar no plenário sobre as contrariedades do projeto. “Nós temos dito que quem bancou a educação na rede municipal de Paulo Afonso nos anos de 2020 e 2021 foram os professores e as professoras com seus recursos pessoais, com a sua internet pessoal, com os seus celulares”, declarou em sua fala.